Soul Fighter

lava

O Havaí é conhecido por muitas coisas. Belas praias, natureza exuberante, cultura rica, ótimas ondas para o surf, diversos hotéis de luxo e entre todas as coisas boas entre as ilhas havaianas, o atleta Soul Fighter Pedro Oliva foi para o arquipélago com seu caiaque atrás de algo inesperado. Cachoeiras de lava.

Pedro Oliva entrou para o livro dos recordes ao saltar de caíque de uma cachoeira de 40m de altura, então sabemos que o atleta é perito em desafios. Em sua viagem para o Havaí, foram também os atletas Bem Stookesberry e Chris Korbulic. Juntos, os três encararam as típicas cachoeiras gigantes, corredeiras até o mar e ondas de até dois metros.

O desafio completamente diferente de tudo foi encarar a lava do vulcão Kilauea, ativo desde 1983 e um dos mais ativos do mundo. A lava solidificada em contato com o mar cria novas terras, fazendo com que a ilha esteja em constante crescimento.

Pedro Oliva e seus companheiros se aproximaram das corredeiras de lava pelo mar. O desafio é para profissionais, o trio chegou a poucos metros das quedas de lava, em um ponto em que era impossível colocar as mãos na água, pois ela estava fervendo, além de haver pedras incandescentes flutuando ao redor do grupo. Qualquer erro acabaria em um acidente grave.

Apreciar o espetáculo da natureza dessa distância já seria de tirar o fôlego de qualquer um, mas o atleta Soul Fighter foi mais longe. Remou seu caiaque até a costa e explorou a ilha de lava a pé. O solo é recente e frágil, o atleta precisava testar o chão a sua frente com sue remo para garantir que não cederia, pois assim cairia na lava corrente do subsolo. O próprio Pedro Oliva revelou que este foi um dos momentos mais tensos, o risco de cair na lava causava tensão.

Depois de encarar os perigos da lava no Havai, Pedro Oliva pretende continuar sua buscar por grandes cachoeiras na Austrália e Indonésia. O atleta Soul Fighter nunca para de procurar por novos desafios.